Mostra gastronômica ativa empreendedorismo de vítimas de violência

Mulheres capacitadas pelo projeto Empoderamento Empreendedor expuseram produtos em shopping
Belém 14/02/20 17:40

Na manhã desta sexta-feira (14), o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), por meio do Núcleo Mulher, realizou pela primeira vez uma deliciosa mostra gastronômica de pães e doces, produzidos por mulheres atendidas pelo projeto “Empoderamento Empreendedor”, idealizado pelo promotor de Justiça Franklin Lobato Prado. O evento ocorreu no 2º andar do Shopping Castanheira, na região Metropolitana de Belém, e atraiu a atenção de quem passava pelo local.

Estande com mostra de doces
Estande com mostra de doces produzidos por participantes do projeto Empoderamento Empreendedor
Foto: Ascom MPPA

O evento iniciou com uma cerimônia de premiação que entregou certificados às mulheres que participaram da oficina de panificação ofertada, no último dia 24 de janeiro, pelo Centro Universitário Fibra. Além dos certificados, as mulheres receberam ainda o “Kit empreendedor”, que incentiva a panificação. Após a cerimônia, houve a mostra e venda dos produtos produzidos pelas mulheres atendidas pelo projeto Empoderamento Empreendedor.

O evento teve apoio do Shopping Castanheira, empresa do grupo Líder, que é parceira do projeto Empoderamento Empreendedor. O gerente geral do Shopping, Arnaldo Mota, enalteceu o projeto e parabenizou a iniciativa. “O Empoderamento empreendedor é um projeto genial, que consegue juntar o esforço do poder público a uma necessidade das pessoas. Por meio dele, mulheres conseguem resgatar sua autoestima e encontrar um caminho de qualificação para trabalhar em uma empresa ou até mesmo abrir seu próprio negócio”, declarou.

Participantes na mostra gastronômica
Participantes na mostra gastronômica: exposição reforça perfil empreendedor das mulheres
Foto: Ascom MPPA

Já o vice-reitor do Centro Universitário Fibra, Vicente Noronha Filho, destacou a importância da parceria entre a instituição e o MPPA. “Nós da Fibra já defendemos os interesses e direitos das mulheres no ponto de vista institucional e acadêmico. Porém com essa parceria, o sistema de proteção é ampliado, oferecendo a essas mulheres não apenas proteção processual e jurídica, mas oportunidades de serem inseridas no mercado de trabalho, para terem autonomia financeira, que é o que todo ser humano busca”, ressaltou.

Representantes do Centro Universitário Fibra, instituição parceira que ofereceu as oficinas de panificação.
Promotor Franklin Prado e representantes do Centro Universitário Fibra entregam certificados referentes à oficina de panificação.
Foto: Alexandre Pacheco

Suziane Barbosa, que faz parte do empoderamento empreendedor, comenta que está feliz em participar do projeto e agradece o apoio que ela e as colegas vêm recebendo da equipe do Núcleo Mulher. “A equipe do promotor Franklin é maravilhosa! Eles são formidáveis conosco, nos incentivam a lutar e a não desistir, nos orientando em todos os sentidos”, elogiou.

Suziane se emociona ao contar sua experiência e diz ver a mostra gastronômica como uma oportunidade. Para ela, é um sonho realizado poder mostrar seu trabalho e ainda obter fonte de renda. “Para nós a mostra está sendo a primeira oportunidade de muitas que virão. É uma porta que está se abrindo para todas nós e eu estou muito agradecida primeiramente a Deus e a equipe que está com a gente, pois sei que daí muitas coisas boas virão”.

Integrante do projeto Empoderamento Empreendedor recebendo certificado e
Integrante do projeto Empoderamento Empreendedor recebendo certificado e "Kit empreendedor"
Foto: Alexandre Pacheco

O projeto

Idealizado pelo promotor de justiça Franklin Lobato Prado, titular da 3ª Promotoria de Justiça de Violência contra a Mulher de Belém, o projeto “Empoderamento Empreendedor” atende mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, prestando assistência social e psicológica. Além disso, o projeto mantém diversas parcerias com empresas e instituições fornecendo cursos de capacitação profissional, para reinserir as mulheres atendidas pelo projeto no mercado de trabalho, garantindo assim sua autonomia financeira.

Promotor de Justiça Franklin Prado, idealizador do projeto
Promotor de Justiça Franklin Prado, idealizador do projeto "Empoderamento empreendedor"
Foto: Alexandre Pacheco

“Hoje mostramos o resultado prático da primeira oficina de panificação que tivemos em janeiro. A mostra é resultado dos cursos oferecidos pelo projeto ‘Empoderamento empreendedor’, que proporcionam qualificação profissional à mulher, para que ela seja inserida no mercado de trabalho formal ou numa atividade empreendedora individual”, declarou o promotor de Justiça Franklin Prado.

O promotor comenta que está desenvolvendo, junto à bancada feminina da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), a elaboração de uma nova lei estadual, que prevê a redução da taxa de ICMS para empresas que investirem em qualificação profissional e contratação de mulheres vítimas de violência doméstica. “Vamos trabalhar com o Governo do estado, com a Prefeitura, a Alepa e a bancada federal para tentar aprovar essa lei”. Caso seja aprovada, a expectativa é que a lei passe a vigorar a partir de março deste ano.

Parcerias

A mostra gastronômica é uma realização do Núcleo Mulher do MPPA, por meio do Projeto “Empoderamento Empreendedor”, que é coordenado pelo Promotor de Justiça Franklin Prado em parceria com o Grupo Líder/Castanheira. Também são parceiros desta ação, a coordenadora do projeto “Conhecimento: Alforria da mulher”, Luciana Ferreira do IDESO Benevides e o Centro Universitário Fibra, sob a coordenação da professora Ariane Amoras de Araújo. Já os cursos profissionalizantes, são resultado da parceria entre o MPPA, a Escola Superior Madre Celeste (Esmac) e o SEBRAE.

Representantes das instituições parceiras do projeto
Representantes das instituições parceiras do projeto
Foto: Alexandre Pacheco

O projeto Empoderamento empreendedor já possui diversas parcerias com empresas, instituições e Universidades. O objetivo é estabelecer nova parcerias para aumentar ainda mais a rede de proteção e qualificação das mulheres atendidas pelo projeto.

Esmac oferece cursos de capacitação

Nesta mesma sexta (14), no período da tarde, ocorreu a abertura dos cursos profissionalizantes destinados a mulheres vítimas de violência atendidas pelo projeto "Empoderamento empreendedor". Os cursos são ofertados pela Escola Superior Madre Celeste (Esmac), outro parceiro do projeto que tem colaborado para oferecer qualificação e, asism, facilitar a entrada dessas mulheres no mercado de trabalho. O primeiro curso foi o de "Auxiliar administrativo",  ministrado pela professora Karla Ferreira, pedagoga Especialista em Psicopedagogia Recursos Humanos e Desenvolvimento de Pessoas,  com 30 participantes e que teve início às 15h, na unidade sede da escola, na Cidade Nova 8.

A coordenadora de Extensão do Nupex da Faculdade Esmac saudou as participantes do curso
A coordenadora de Extensão do Nupex da Faculdade Esmac, Márcia Jorge Lima, saudou as participantes do curso
Foto: Ascom Esmac

Participaram da cerimônia de abertura dos cursos do projeto "Empoderamento empreendedor",  Marcia Andreia Jorge de Lima, coordenadora de Extensão do  Núcleo de Pesquisa e Extensão Acadêmica (Nupex) da Faculdade Esmac, e, coordenadora de integração de políticas públicas para mulheres da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), a diretora acadêmica da Esmac, Roberta Pantoja e a coordenadora do Parapaz Mulher Ananindeua, Andressa Miranda.

A diretora acadêmica da Esmac também participou da recepção às novas alunas do curso de auxiliar de administração
A diretora acadêmica da Esmac, Roberta Pantoja, também participou da recepção às novas alunas do curso de auxiliar de administração
Foto: Ascom Esmac

 

Texto: Rebeca Rocha
Fotos: Alexandre Pacheco
Edição: Edyr Falcão
Assessoria de Comunicação Social

Fale Conosco